Michael Joe Jackson Nós Te Amamos!

Nós Te Amamos!

Voltando aos EUA.


Membros da família Jackson: Estamos de volta aos EUA.

17/10/2011  12:20 PM PDT PELA EQUIPE DO TMZ

A família Jackson voltou oficialmente para os EUA. Considerando que, seu agente de viagem CANCELOU as passagens de retorno do Reino Unido na última hora porque não tinha sido pago.

O TMZ confirmou que os filhos de Tito Jackson, TJ e Taryll, que participaram do show de Tributo a MJ com o seu conjunto 3T. Conseguiram voltar no dia de ontem, após amargar pelo cancelamento realizado pela agência de viagem.

A Entertainment Travel  afirma que advertiu a empresa por trás do show de Tributo a MJ, a Global Live sobre uma dívida de US $ 200.000, mas infelizmente eles cancelaram os vôos alegando que eles ainda não tinham recebido o valor.

Fontes próximas aos Jacksons disseram ao TMZ que a família buscou outra agência que concordou em emitir e reservar as passagens para eles retornarem para casa. É claro que este acordo foi pagar por passagens novas.

A Entertainment Travel prometeu processar a empresa Global Live se eles não pagarem o que devem dentre em breve.

Um representante da Global Live tinha nos dito que a empresa pretende pagar, acrescentando que “todas as contas estão sendo reconciliadas.”

Fonte: TMZ em http://www.tmz.com/2011/10/17/jackson-family-stranded-abroad-back-in-usa/#.TpzGV3LIaP0

Minha consideração:

Esse tributo ja dava confusão antes, imagine agora? Vai sair uma confusão atrás de outra, até eles pagarem tudo vai continuar esse rolo todo, eu ainda tenho minhas duvidas em relação as instituições serem pagas! Agora vou ir ver esse filme do Nicolas Cage que está passando na Rede Globo!  Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 4 Comentários

Julgamento de Murray vai voltar na quarta – feira (19).


17/10/2011 – 16h02

Julgamento de médico de Jackson recomeçará na quarta-feira

DA ASSOCIATED PRESS, EM LOS ANGELES

O juiz responsável pelo julgamento do médico de Michael Jackson, Conrad Murray, disse nesta segunda (17) que os depoimentos no julgamento serão retomados na quarta-feira (19).

O juiz da Corte Superior Michael Pastor ordenou o atraso para que os advogados de defesa possam obter mais detalhes sobre os resultados dos testes que o escritório do legista de Jackson realizou recentemente.

Os testes eram sobre os níveis do sedativo lorazepam que foram encontrados no corpo de Jackson.

Os advogados de Murray levantaram a questão dos níveis de lorazepam e disseram aos jurados que os montantes eram tão altos que poderiam ter colocado várias pessoas para dormir.

O procurador David Walgren disse ao juiz que pediu para o escritório do legista refazer os testes de lorazepam e descobriu que eles eram mais baixos do que a análise da defesa sugeria.

Murray se declarou inocente de homicídio culposo (sem intenção).

Conrad Murray em seu julgamento na quinta-feira (13)

Fonte: FOLHA ILUSTRADA em http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/991944-julgamento-de-medico-de-jackson-recomecara-na-quarta-feira.shtml

Fonte: Loredana.

Minha consideração:

É ótimo termos um pouco de descanso, pelo menos até a próxima quarta – feira, dia 19 de outubro de 2011, estamos esperando para ver o que irá acontecer, por enquanto é só esperar! Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 5 Comentários

Morte atrasa julgamento do Dr. Murray.


Morte atrasa julgamento de Conrad Murray.

(CNN) – Testemunho no julgamento do médico de Michael Jackson foi colocado em espera além da segunda-feira, e possivelmente mais, porque o pai da última testemunha da acusação morreu.

“A retomada do julgamento será anunciado quando existirem mais informações disponíveis”, um e-mail do tribunal disse no domingo.

O julgamento do Dr. Conrad Murray por homicídio involuntário está previsto para ir ao júri no início da próxima semana, apesar do atraso,  vários dias mais cedo do que o estimado, quando começou há três semanas.

Dr. Steven Shafer, um especialista em anestesiologia, é crucial para o esforço do Estado para provar que a morte de Jackson foi causada por negligência grosseira de Murray no uso do anestésico cirúrgico propofol para ajudar o sono do ícone pop.

O legista do Los Angeles County  determinou que  a morte deJackson  em 25 de junho de 2009, era de “intoxicação aguda de propofol” em combinação com sedativos diversos, incluindo o lorazepam.

Shafer começou a depor na quinta de manhã perante o juiz que fez um recesso para o fim de semana para que ele pudesse viajar para uma convenção médica. Ele nunca fez isso por causa de uma morte em sua família, disse o vice-procurador distrital David Walgren na sexta-feira.

Shafer, que deve dar uma explicação científica detalhada de como propofol é metabolizado no organismo humano, estará  no banco das testemunhas por pelo menos um dia quando ele retorna do funeral de seu pai, de acordo com o que Walgren disse na sexta-feira.

O testemunho de Shafer é esperado para ecoar as opiniões de um especialista em sono e um cardiologista que testemunhou que o tratamento de Murray à Jackson estava tão negligente que era criminoso.

A apresentação da defesa iria seguir, com duração até sexta-feira ou segunda-feira seguinte, de acordo com o advogado de defesa Nareg Gourjian.

Junto com dois ou três peritos médicos e um policial  que não foi chamado pela acusação, Gourjian disse que a defesa alinhou vários pacientes do Dr. Murray para testemunhar sobre como ele ajudou-os.

Não há nenhuma indicação de que Murray vai assumir o posto para depor em sua defesa, que sujeitaria-o a intenso interrogatório por Walgren. O júri já ouviu a gravação de sua entrevista com detectives dois dias depois da morte de Jackson.

Os advogados de Murray afirmam que Jackson usou uma seringa para injetar a overdose fatal através de um cateter na perna esquerda   enquanto Murray estava longe de sua cabeceira. Eles lançaram a teoria mais de que Jackson pode ter ingerido oralmente o propofol que o legista diz que o matou.

A defesa de Murray também alega que Jackson engoliu oito comprimidos de lorazepam, um sedativo, em uma busca desesperada para dormir no dia que ele morreu.

Murray deve ser considerado culpado, mesmo que os jurados aceitem a teoria de que Jackson auto-administrou a dose fatal porque o médico foi imprudente ao deixar propofol e lorazepam perto de seu paciente quando ele não estava por perto, Dr. Alon Steinberg, um cardiologista testemunhando pela acusação, disse na semana passada.

“É como ter um bebê que está dormindo em sua bancada de cozinha”, Steinberg disse, “Há uma chance muito pequena de que o bebê poderia cair, ou acordar e pegar uma faca ou algo assim.”

Na quinta-feira, o especialista em sono do UCLA, o Dr. Nader Kamangar testemunhou que a combinação de drogas que Murray deu a Jackson “foi a tempestade perfeita” que o matou.

” O sr. Jackson estava recebendo uma terapia muito inadequada,  no ambiente doméstico, recebendo sedativos muito potentes, incluindo lorazepam propofol e midazolam, sem monitoramento por Murray e, finalmente, este cocktail foi uma receita para o desastre “, disse Kamangar.

Mas Kamangar, testemunhando para a acusação, disse que Jackson “claramente” sofria de insônia que poderia ter sido causada por Demerol, um narcótico que ele estava recebendo com freqüência de um médico que não era Murray.

A equipe de defesa de Murray afirma que o Dr. Arnold Klein injetou em Jackson 6.500 miligramas de Demerol durante as visitas em sua clínica de dermatologia em Beverly Hills, Califórnia nos últimos três meses de sua vida, e que Murray não sabia sobre isso.

Jackson procurava desesperadamente dormir no dia em que ele morreu, preocupado que sem descanso não podia ensaiar naquela noite, que poderia forçar o cancelamento de sua volta nos concertos “THIS IS IT”, de acordo com entrevista de Murray com a polícia.

Se condenado por homicídio involuntário, a pena máxima  que Murray pode enfrentar é de quatro anos de prisão e a perda de sua licença médica.

Fonte: MJJ UNDERGROUND em http://www.mjjunderground.com/2011/10/17/death-delays-trial-of-conrad-murray/

Minha consideração:

Ainda não teremos o julgamento nessa semana? Estamos esperando, é que teve a morte do pai da testemunha e por isso que ele não foi ao congresso médico e ao julgamento, esse foi o motivo de não termos julgamento no dia de hoje!  Lembra que se ele for preso, a prisão será domiciliar conforme uma nova lei que entrou em vigor nesse mês! Beijos Marila Hoppe

 

 

 

 

 


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 2 Comentários

Julgamento de Murray suspenso.


17 de outubro de 2011.

Morte suspende julgamento do Dr. Conrad Murray.

Enviada: 8:40

O julgamento do médico de Michael Jackson não vai continuar segunda-feira, e o atraso pode durar mais tempo. Os processos estão suspensos, porque o pai da última testemunha estatal morreu.

Um e-mail enviado no domingo do gabinete de informações públicas do Tribunal de Los Angeles, disse: “A retomada do julgamento será anunciada quando existirem mais informações disponíveis.”

A sessão do tribunal não foi realizada na sexta-feira para permitir que o Dr. Steven Shafer participasse de uma conferência de anestesista em Chicago.  O Dr. Shafer nunca chegou à conferência, porque seu pai faleceu.

O Dr. Shafer é um anestesista altamente respeitado e farmacologista e ele é esperado para depor sobre os efeitos do propofol sobre o corpo humano. Ele provavelmente irá oferecer uma peça-chave do testemunho de contradizer a teoria da defesa de que Jackson deu a si mesmo a dose fatal de 25mg de propofol de uma só vez através de um  cateter IV na perna. O Dr. Shafer, provavelmente, irá testemunhar que a quantidade de propofol no sangue de Jackson era muito alto para sustentar esse argumento, e para criar os altos níveis Jackson teria que ser infundido com um IV constante  de gotejamento do propofol.

Os promotores disseram que planejam  descansar o seu caso depois de Dr. Shafer terminar o seu testemunho. A defesa, então, vai começar a apresentar o seu caso.  Os advogados do Dr. Murray tem a estimativa de que eles vão chamar 15 testemunhas para depor. O advogado de defesa Nareg Gourjian disse que a sua causa pode durar até sexta-feira ou na segunda-feira seguinte.

Fonte: CNN JUSTICE em http://insession.blogs.cnn.com/2011/10/17/death-suspends-trial-of-dr-conrad-murray/

Minha consideração:

Ainda temos muito pano para a manga, vamos esperar pelas próximas cenas dos novos capítulos, porque isso tudo já se tornou uma novela!  Esperamos para ver tudo! Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 1 Comentário

O julgamento de Conrad Murray.


17.10.2011 – 07h00

Julgamento do médico de Michael Jackson entra em nova fase nesta semana

Da Redação.

17.10.2011 – 07h00Julgamento do médico de Michael Jackson entra em nova fase nesta semana

Da Redação

Foto: Em frente ao tribuna de Los Angeles, fãs do Michael Jackson levam cartazes pedindo justiça e condenando o médico de Michal Jackson, Conrad Murray, pela morte do cantor (27/9/11) Reuters

O julgamento de Conrad Murray, médico de Michael Jackson acusado de homicídio culposo, entra em nova fase nesta semana. Após terem sido ouvidas mais de 30 testemunhas da promotoria, os advogados de defesa do médico deverão apresentar argumentos para provar a inocência de Murray. Segundo a agência Reuters, a defesa deve chamar 22 testemunhas, incluindo ex-pacientes do cardiologista, especialistas médicos e talvez o ex-cabeleireiro de Jackson.

Provavelmente, eles deverão descrever Murray como um médico gentil e consciencioso e alegar que Jackson era viciado em propofol e outros medicamentos, sendo um paciente difícil.

Nesta segunda-feira (17), ainda termina de depor a última testemunha da promotoria – o especialista em propofol Dr. Steven Shafer. Ele deve falar à Justiça sobre os efeitos do medicamento. Fica também a expectativa quanto à possibilidade de Conrad Murray depor – ele pode ser chamado, mas por enquanto não se sabe se ele irá falar.

Após três semanas de depoimentos – muitos dos quais prejudiciais ao médico – especialistas dizem que a versão dos fatos apresentada por Murray é repleta de incoerências, e que pode ser arriscado ele contar sua versão dos fatos na Justiça. Depor pode ser arriscado, se o médico não explicar com clareza por que não tinha equipamentos adequados para reanimar Jackson quando ele morreu e por que não revelou que de propofol ao astro pop.

Quase ficou sem acusação

O julgamento de Murray começou no dia 27 de setembro, e deve durar pelo menos mais duas semanas. Ele pode ser condenado a até quatro anos de prisão, com perda do registro médico. Caso seja condenado, segundo o site TMZ, o médico poderá ganhar prisão domiciliar. Por conta de uma nova lei que entrou em vigor na Califórnia em outubro, criminosos não violentos não podem ser enviados para a prisão do Estado.

Também de acordo com o TMZ, o Dr. Murray poderia não ter sido acusado de homicídio se não tivesse falado com policiais após a morte do cantor. Ele contou voluntariamente aos oficiais que deu propofol à Jackson por dois meses – fato que poderia nunca ser comprovado, se ele não fornecesse a informação. Após seu depoimento, porém, os policiais não se convenceram de que ele estivesse contando totalmente a verdade, e isso levou à abertura do processo.

Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009 de uma intoxicação de remédios, principalmente de Propofol. A promotoria acusa o médico do cantor de homicídio involuntário por negligência ao socorrer o cantor. A defesa do médico, no entanto, alegava que Jackson havia tomado remédios por conta própria enquanto o Murray estava fora do quarto – tese que foi, posteriormente, retirada. Um júri com 12 integrantes irá decidir se médico é inocente ou culpado da acusação de homicídio involuntário.

Para especialistas legais, de acordo com reportagem da Reuters, a defesa terá que esclarecer: por que Murray não informou os médicos da ambulância ou do hospital de que tinha dado propofol ao cantor; por que tentou esconder frascos do anestésico quando os paramédicos chegaram para ajudar Jackson; por quanto tempo ficou fora do quarto de Jackson na manhã da morte; e por que estava usando propofol, medicamento normalmente restrito a pacientes que serão submetidos a cirurgias.

Fonte: CELEBRIDADES UOL  em http://celebridades.uol.com.br/noticias/redacao/2011/10/17/julgamento-do-medico-de-michael-jackson-entra-em-nova-fase-nesta-semana.htm

Minha consideração:

Eles estão pensando em terminar o julgamento ainda essa semana, pensam que vai terminar mais ou menos lá pelo dia 21 ou 24 desse mês, hoje eles não tem julgamento, acho que vai atrasar mesmo! Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Aquecimento de biografias.


Créditos: Lyllyan. Beijos Marila Hoppe

Livros sobre Ozzy, Aerosmith, Beatles e Michael Jackson aquecem biografias

 Olá,

As livrarias brasileiras receberam desde o início do ano 32 lançamentos sobre astros de pop e rock, contra 21 em todo o ano passado. Nesta semana, a editora Benvirá aumenta a lista com nomes fortes: Ozzy Osbourne e Steven Tyler. “Confie em Mim, Eu Sou o Dr. Ozzy” e “O Barulho na Minha Cabeça Te Incomoda?” não interessam somente aos fãs dos dois roqueiros.

Ozzy, que vem do sucesso de sua autobiografia no ano passado, agora edita em um livro suas dicas da coluna de saúde que assina no jornal “The Sunday Times”.

O grande trunfo do vocalista é ter sobrevivido a décadas de alto consumo de tudo que pode ajudar a matar uma pessoa. Como medicina, a obra é uma nulidade. Como humor, é receita certa de sucesso.

Tyler fala de sua banda, Aerosmith, mas foca o circo das celebridades. Sua visão de mundo meio hippie e meio caipira detona clichês de sexo, drogas e rock and roll.

As edições nacionais de livros sobre roqueiros ou escritos por eles são um reflexo do mercado norte-americano. Uma pesquisa pelos subgêneros “rock bio” e “pop bio” na maior livraria virtual, a Amazon.com, lista mais de 600 livros em língua inglesa, 63 deles lançados neste ano.

Outro sinal da antena ligada das editoras brasileiras é a já acertada edição em português, pela editora Globo, da aguardada biografia de Neil Young, “Waging Heavy Peace” (pode ser traduzido por “batalhando pela paz”). Deve sair nos EUA em março.

Beatles

Mais dois itens sobre a banda de Liverpool chegaram às lojas dos Estados Unidos na última quinzena. Olivia Harrison, viúva do beatle zen, lançou “George Harrison: Living in the Material World” (George Harrison: vivendo no mundo material). O livro rendeu exposições em museus e documentário assinado por Martin Scorsese.

“Lennon: The Man, the Myth, the Music – The Definitive Life” tem força para justificar o pretensioso título de biografia “definitiva”. Tim Riley, crítico respeitado, adota um ângulo diferente para biografar o mais intelectual e politizado beatle. Ele destaca como Lennon foi influenciado por outras artes e, posteriormente, as influenciou. Estabelece várias pontes entre a sua vida e o cinema, a literatura e a TV.

Beatlemaníacos que dominam o inglês já correm para as livrarias on-line, embora existam negociações para os dois títulos saírem no Brasil.

Sobreviventes

“Vida”, de Keith Richards, e “Eu Sou Ozzy”, de Ozzy Osbourne, são autobiografias de ídolos associados ao álcool e a todo os tipos de drogas, dois sobreviventes do rock.

O guitarrista dos Rolling Stones mistura humor, cinismo e relatos de dores terríveis a momentos filosóficos. Richards tenta sempre se distanciar da condição de ícone.

Já Ozzy escancara episódios hilariantes, sem o menor pudor de mostrar, digamos, certa falta de inteligência.

De delinquente juvenil currado na cadeia a rock star doidão exibindo neurônios destruídos num reality show, Ozzy descarta qualquer tipo de censura. Sua vida é realmente um livro aberto, e esse livro é muito engraçado.

O terceiro volume que ajudou a fazer do rock um subgênero literário foi “Só Garotos”, da cantora Patti Smith. Ela levou um National Booker Award com a narrativa de seu relacionamento apaixonado com o polêmico fotógrafo Robert Mapplethorpe (1946-1989). Há trechos arrebatadores de romantismo.

Os três lideraram a lista de mais vendidos nos Estados Unidos, lugar alcançado também pela biografia de Steven Tyler – além do Aerosmith, fez fama recente na TV como jurado do “American Idol”.

Os novos livros sobre George Harrison e John Lennon tem gerações de fãs dos Beatles como garantia de venda.

Obras de peso como essas abriram caminho para literatura rasteira, para esvaziar o bolso de fãs. No catálogo das editoras no Brasil estão oito títulos sobre Michael Jackson, seis que falam de Justin Bieber e cinco de Lady Gaga.

Entre brasileiros, quem esteve na lista de mais vendidos foi Lobão, com “50 Anos a Mil” (em parceria com Claudio Tognolli), e Tim Maia, retratado por Nelson Motta em “Vale Tudo: O Som e a Fúria de Tim Maia”, hit também em audiobook.

Lyllyan

Fonte: Midia Max

Fonte: Lyllyan em http://newspressrelease.wordpress.com/2011/10/17/livros-sobre-ozzy-aerosmith-beatles-e-michael-jackson-aquecem-biografias/

Minha consideração:

Dizem que a melhor biografia de Michael Jackson para ler é a biografia chamada Moonwalk, que foi autorizada pelo próprio Michael Jackson, tenho uma biografia de MJ, mas comecei a ler e não gostei da forma que o autor escreveu! Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 2 Comentários

Frei Betto.


Frei Betto: Morrer é transvivenciar

Rio – A morte nem sempre manda aviso-prévio. Se uma celebridade deixa a vida por acidente, como Ayrton Senna e Lady Di, ou por causa inesperada, como Michael Jackson e Amy Winehouse, as redações precisam ter pronto o perfil biográfico do falecido.

Sim, sabemos todos que ninguém é imortal. Em determinado dia, mês e ano, cada um de nós deixará este mundo. O que choca é ver alguém morrer antes do tempo… Sobretudo quando se respira uma cultura de preconceito à velhice.

Chamar, hoje, alguém de velho é uma ofensa. No máximo, admite-se ‘idoso’. E haja eufemismos para qualificar quem passou dos 60: terceira idade, melhor idade.

Como velho que sou, rejeito tais artimanhas da linguagem. Se é para inventar eufemismo, melhor ser realista e considerar nós, velhos, a turma da eterna idade, já que estamos naturalmente mais próximos dela…

Nossa cultura pós-moderna lida muito mal com a morte. Busca ansiosamente o elixir da eterna juventude: academias de ginástica, anabolizantes, macrobiótica, cirurgias plásticas etc.

O mundo desencantou-se, disse Max Weber. Religiões e ideologias estão em crise. Pouco se pergunta pelo sentido desta vida e, portanto, muito menos o que nos espera na outra.

As escolas deveriam educar seus alunos sobre os ritos de passagens inevitáveis ao longo da vida. Eles aprenderiam que a morte não merece credibilidade porque, em si, não existe. Existem a passagem para quem se foi e a perda para quem ficou.

Não gosto do verbo morrer. Prefiro transvivenciar. Por uma questão de fé e sentimento. A vida é um milagre excepcionalmente belo para enclausurar-se nos poucos anos que nos são dados viver. Acredito que, ao sair do casulo, todos haveremos de virar borboletas — o que é ainda mais belo e promissor.

Frei Betto é escritor, autor do romance ‘Minas do Ouro’

Fonte: O DIA IG em http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/html/2011/10/frei_betto_morrer_e_transvivenciar_199530.html

Minha consideração:

O que ele escreveu é muito lindo  e emocionante!  Beijos Marila Hoppe


17/10/2011 Posted by | Uncategorized | 2 Comentários