Michael Joe Jackson Nós Te Amamos!

Nós Te Amamos!

Paul White sustenta acreditar na inocência de Murray.


Créditos: Lyllyan. Beijos Marila Hoppe

Dr. Paul White sustenta acreditar na inocência do médico de Michael Jackson

Olá,

Apesar da insistência da acusação, o médico Paul White, especialista que foi escalado pela defesa como última testemunha no julgamento do Dr. Conrad Murray, sustentou nesta segunda-feira (31) sua crença no que o acusado pela morte de Michael Jackson afirma.

“Quando você leu o depoimento que o Dr. Murray fez à polícia, considerou tudo verdade?”, indagou a acusação em um dos momentos mais tensos no tribunal, no qual o advogado atuante se mostrou em vários momentos impaciente com as respostas da testemunha. “Baseado em tudo aquilo que li e estudei sobre o caso, sim”, respondeu White.

Um dos principais motivos para a impaciência da acusação foi uma carta entregue pelo médico a ambas as partes envolvidas no julgamento, na qual teria exposto sua opinião a respeito da medicação que matou o cantor em 2009, apontando como principal culpado por ela o próprio Michael Jackson.

“Esse não é um documento formal, mas sim uma carta, escrita às pressas quando a defesa me solicitou para testemunhar sobre o uso do Propofol. Nela, escrevi minhas opiniões e meus pensamentos”, completou.

White ainda afirmou acreditar que, apesar de os medicamentos terem sido regularmente aplicados no cantor por Murray, Jackson “com certeza tinha outras fontes para consegui-lo para se auto-medicar”.

dr-paul-white-admite-que-medico-de-michael-jackson-violou-o-atendimento-medico

Agora o médico diz que o Dr. Conrad Murray é inocente… confuso não?

Lyllyan

Fotne: Terra

Fonte: Lyllyan em http://newspressrelease.wordpress.com/2011/10/31/dr-paul-white-sustenta-acreditar-na-inocencia-do-medico-de-michael-jackson/

Minha consideração:

Hoje foi tenso o julgamento, foi tudo muito confuso hoje!  Beijos Marila Hoppe



31/10/2011 Posted by | Uncategorized | 8 Comentários

Murray violou atendimento médico.


Créditos: Lyllyan. Beijos Marila Hoppe

Dr. Paul White admite que médico de Michael Jackson violou o atendimento médico

 Olá,

O Dr. Paul White admitiu nesta segunda-feira que o médico pessoal de Michael Jackson violou o padrão de cuidados médicos, fornecendo a estrela pop um anestésico cirúrgico em sua casa.

O Dr. Paul White, a testemunha mais importante da defesa, reconheceu que o tratamento que o médico deu a Michael Jackson por dois meses antes de sua morte foi potencialmente fatal.

“Sem acompanhamento lado a lado, ele pode ser perigoso”, disse o Dr. White, um anestesista e especialista líder em Propofol.

“Poderia resultar em morte?” pressionou o promotor.

“Se a infusão de alguma forma veio abrir… certamente você poderia conseguir um efeito significativo que poderia resultar em parada cardiorrespiratória,” respondeu o Dr. White.

No depoimento de sexta-feira, 28/10/11, Dr. White disse aos jurados que o nível de propofol detectado na urina do cantor depois de sua morte sugeriu que ele havia injetado a droga.

A defesa do Dr. Murray afirma que Michael Jackson deu a si mesmo uma dose letal de propofol em uma tentativa desesperada para dormir antes dos seus ensaios.

As conclusões do Dr. White estavam em oposição direta com o outro especiliasta chave que testemunhou sobre as evidências do anestésico, onde mostrou que o Dr. Murray permitiu injetar uma enorme quantidade de propofol no corpo de Michael Jackson através de um tubo intravenoso.

Dr. White admitiu ao testemunhar para a defesa que ele não poderia explicar os cuidados médicos feitos pelo Dr. Murray e o promotor David Walgren aproveitou esse ponto nesta segunda-feira.

“Alguma vez você já administrou propofol no quarto de alguém?” Perguntou Walgren.

“Não, eu nunca fiz”, disse o Dr. White.

“Você nunca ouviu falar de alguém que fez isso antes deste caso?” Continuou o promotor.

“Não, eu não nunca ouvi”, disse o Dr. White.

O Dr. White disse que teria ligado imediatamente para o 911, mas ele sugeriu que o Dr. Murray “reagiu como muitos médicos fariam.”

“Ele provavelmente estava muito ansioso nesta situação, e é muito estressante para qualquer um”, disse o Dr. White.

Walgren ridicularizau sua resposta, observando que o Dr. Murray estava segurando um celular nas mãos na hora.

“Você está dizendo que ele não era capaz de pressionar o 911?” Disparou o  promotor.

Dr. White minimizou a questão, mas depois disse que Michael Jackson teria morrido, não importa quão rapidamente a ajuda viesse. Em vários pontos, o Dr. White tentou relacionar informações que ele tinha aprendido no que ele descreveu como “duas longas conversas” com o Dr. Murray.

Essas discussões não são admissíveis em tribunal e o procurador opôs repetidamente a quaisquer referências a outras conversas que o Dr. Murray deu fora a da polícia.

O juiz Michael Pastor, criticou o Dr. White para ouvir com atenção às perguntas do promotor.

Walgren perguntou ao Dr. White se ele acreditava que o Dr. Murray tinha quebrado o juramento médico: “Primeiro, não causar danos.”

“Eu acho que ele estava prestando um serviço a pedido do Sr. Jackson, na verdade, insistiu,” resposndeu o Dr. White referindo-se aos pedidos do cantor para inúmeros médicos para lhe aplicar o propofol para tratar sua insônia crônica.

A promotoria já havia acusado o Dr. Murray de agir mais como um empregado do que como um médico e o Walgren enfatizou isto com a testemunha “serviço”.

“Bem, cuidados médicos é uma palavra melhor do que serviço”, disse o Dr. White.

Dr. White disse que ele tinha recebido U$ 11.000 dólares pelo seu trabalho na defesa até o momento.

Questionado se ele espera receber uma compensação adicional por ir ao tribunal várias vezes, o Dr. White disse que seu valor normal cobrado foi de US $ 3.500, mas ele não espera receber mais, pois a defesa tem “recursos financeiros limitados.”

Se eu entendi bem, a testemunha do Dr. Conrad Murray ao invés de defendê-lo passou a acusá-lo… Ihhh!!!

O gatão do David Walgren gosta de uma pressão… Rs

Lyllyan

Fonte: Los Angeles Times

Fonte: Lyllyan em http://newspressrelease.wordpress.com/2011/10/31/dr-paul-white-admite-que-medico-de-michael-jackson-violou-o-atendimento-medico/

Minha consideração:

A coisa está complicada, ou acusa ou defende, a testemunha estava com cara de choro e amuada hoje, foi o que eu achei quando estava vendo o julgamento! Beijos Marila Hoppe


31/10/2011 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Sr. Lorazepam.


Créditos: Lyllyan. Beijos Marila Hoppe

Advogado chama Michael Jackson de ‘Sr. Lorazepam’

 Olá,

Michael Jackson, que em um dos momentos mais surreais do julgamento de seu médico Conrad Murray foi chamado sem querer de “Sr. Lorazepam”, é o fantasma que paira sobre o encerramento do processo, que nesta semana chega a seu clímax.

As apresentações da defesa e da acusação foram permeadas por gráficos sobre medicamentos psicotrópicos, enquanto especialistas se confrontaram na frente dos familiares de Jackson, que ocupavam a primeira fila: a sala da Suprema Corte de Los Angeles, onde Murray foi julgado nas últimas cinco semanas, parecia uma aula de farmacologia.

“Vamos tratar do grande tema desta sala”, disse o advogado de defesa Michael Flanagan na quinta-feira passada. “Conrad Murray foi acusado de administrar uma dose de propofol, de deixar seu paciente sozinho. Isso é justificável?”.

Sua principal testemunha, o médico Dr. Paul White, não pôde comparecer.

No entanto, foi convocado pela defesa para refutar a afirmação da Promotoria de que Murray, um médico nascido em Granada há 58 anos, é culpado do homicídio culposo do Rei do Pop, morto em 2009 por uma overdose de medicamentos.

Murray, que manteve um semblante sério durante o julgamento, nega as acusações.

Seus advogados, Flanagan e seu colega Ed Chernoff, conhecido por usar seu iPad na sala, fizeram todo o possível para desafiar os prognósticos e limpar seu nome, com o argumento de que Michael Jackson era um viciado desesperado que ia se matar acidentalmente de qualquer forma.

Foram ajudados por uma espetacular ladainha de problemas médicos que Michael Jackson aparentemente sofreu durante anos antes de sua prematura morte em 25 de junho de 2009, enquanto preparava uma série de apresentações em Londres.

Incontinência urinária, insônia e instabilidade mental foram três dos transtornos médicos da estrela revelados em detalhes no julgamento. O júri escutou que Michael Jackson morreu devido a um coquetel de sedativos: lorazepam, midazolam e propofol, que tomava para poder dormir.

Também ficaram sabendo que um catéter, um tubo para administrar medicamentos por via intravenosa, e uma canícula nasal para oxigênio foram encontrados no corpo de Micahel Jackson quando os paramédicos chegaram. Eles viram as fotos do cadáver do cantor nu em uma maca de hospital, cuja exibição fez alguns de seus familiares deixarem a sala.

Os pais de Michael Jackson, Katherine e Joe, lideraram a comitiva familiar presente no julgamento desde 27 de setembro, alguns com mais frequência do que outros, e ficam nos bancos de madeira reservados na parte dianteira da sala.

De vez em quando, trocam algumas palavras com os jornalistas sentados atrás deles, enquanto os fãs de Jackson – vencedores de um sorteio diário de entradas para alguns assentos disponíveis – são enviados para a última fila.

O juiz Michael Pastor, elogiado por seu controle do julgamento, se permitiu algumas brincadeiras com membros do júri e com funcionários do tribunal, mas deixou claro sua seriedade. Quando o celular de uma fã de Michael Jackson tocou, esta foi escoltada com elegância para fora da sala e seu telefone foi confiscado.

As primeiras testemunhas incluíram uma camareira e uma atriz de Hollywood, noiva de Murray, que não pôde conter sua emoção por ter conhecido Michael Jackson, inclusive ao falar de sua morte.

Uma série de testemunhas falou sobre como Murray salvou a vida delas e os atendeu de forma gratuita, em declarações que levaram o médico às lágrimas algumas vezes.

Mas na semana passada a situação de Murray se complicou, com depoimentos médicos de testemunhas-chave que falaram sobre o que ele poderia ou não ter feito na fatídica hora anterior à morte de Michael Jackson.

Os advogados de Murray, e inclusive o juiz, pareciam cansados nos últimos dias de julgamento, confundiram várias vezes os nomes de especialistas em propofol, um dos quais teria chamado o outro de “frouxo” no fundo da sala.

Flanagan parecia ter mais problemas para se concentrar, provocando risadas quando, em meio a outra série de depoimentos na sexta-feira, chamou Michael Jackson de “Sr. Lorazepam” – e não se deu conta disso até que o juiz chamou sua atenção.

Michael Jackson, apelidado de diversas formas durante a vida, incluindo o famoso Rei do Pop, sem dúvida conhecia os medicamentos. Mas muitos suspeitam que ele se reviraria em seu caixão se soubesse seu novo sobrenome.

Assim fica fácil apelidar o outro quando ele não está perto para se defender. Raça!!!

Lyllyan

Fonte: AFP

Fonte: Lyllyan em http://newspressrelease.wordpress.com/2011/10/31/advogado-chama-michael-jackson-de-sr-lorazepam/

Minha consideração:

É muito triste ouvir os apelidos que deram ao MJ em torno de toda a sua carreira, esse é mais um apelido entre tantos que ele recebeu, o triste é que ele não pode se defender! Beijos Marila Hoppe



31/10/2011 Posted by | Uncategorized | 3 Comentários

PETA.


Créditos: Lyllyan. Beijos Marila Hoppe

PETA quer processar defesa do médico de Michael Jackson

 Olá,

Dr. Conrad Murray não irá sentar no banco das testemunhas para depor em sua defesa no julgamento da morte de Michael Jackson, de acordo com a RadarOnline.

Os depoimentos serão retomados nesta segunda-feira com outras testemunhas da defesa, o Dr. Paul White. O promotor David Walgren será a cruz para interrogar o especialista em propofol.

“O Dr. Murray disse aos seus advogados desde o primeiro dia que ele queria depor e contar o seu lado dos acontecimentos. Mas o advogado Ed Chernoff determinou que o Dr. Murray não irá assumir o posto porque ele não seria capaz de suportar o duro interrogatório submetido pelo promotor”, disse uma fonte próxima ao Dr. Murray.

“Os clientes sempre querem depor, mas, neste caso, Walgren seria capaz de desgastá-lo, e o Dr. Murray apenas não seria capaz de superar os fatos básicos do caso: como o fracasso de não ter ligado para o 911 imediatamente, em não contar para os médicos da emergência que ele tinha dado para Michael Jackson propofol, e não ter o equipamento de monitorização adequado” acrescenta a fonte.

Após a defesa, o promotor chamará várias testemunhas para impugnação. “Nenhuma decisão foi tomada ainda se Walgren estará colocando a contestação”, disse outra fonte.

Dr. White admitiu ao ser questionado sobre dar Propofol por via oral aos animais.

A equipe de defesa do Dr. Conrad Murray encomendou um estudo com cães Beagle para determinar a quantidade de medicamentos que teria que ser ingerida por via oral para causar a morte de Michael Jackson. A defesa foi forçada a abandonar esta teoria depois que os testes comprovaram que seria impossível alguém morrer ingerindo via oral Propofol.

PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) registrou uma queixa com o U.S. Department of Agriculture (USDA) alegando que os“testes de medicamentos encomendados para os Beagles foi cruelmente toxicantes pela equipe de defesa do Dr. Conrad Murray”.

“PETA afirma que, se os advogados de Flanagan, Unger, Grover & McCool fizeram a comissão de testes para o Propofol- os efeitos tóxicos dos quais têm sido extensivamente estudado em cães e seres humanos – os testes foram provavelmente realizados em violação das leis federais Animal Welfare Act’s  que  proibe testes em animais que duplicam experimentos anteriores. PETA entrou com uma queixa junto ao estado da Califórnia também “, disse a organização em sua denúncia.”

Este julgamento virou um balaio de gato, uns tentando saber do que Michael Jackson morreu e o PETA querendo processar porque usaram animais nas pesquisas…

Uma coia de cada vez, pois já está confuso demais tudo isto!!!!

Lyllyan

Fonte: Radar On-line

Fonte: Lyllyan em http://newspressrelease.wordpress.com/2011/10/31/peta-quer-processar-defesa-do-medico-de-michael-jackson/

Minha consideração:

Pode estar confuso, mas dessa vez eu concordo, porque eu sou contra usarem bichos como cobaias, existem outras formas hoje em dia que não precisa mais usar bichos e eles preferem ainda os bichos porque é mais fácil para eles, dá uma raiva tremenda disso, eu tenho um beagle em casa e ele é um amor, aliás eu tenho um schnauzer e um beagle e são os amores de minha vida. Beijos Marila Hoppe


31/10/2011 Posted by | Uncategorized | 5 Comentários